Convidado da semana: Jackson Takeda

por immiroir

My incentive is the romance…

Tu se lembra, daquela maravilhosa música, que sempre te acelera? Aquela mesma, que você acha pretensiosamente, que foi feita somente para você? Pois então, eu a vejo como um dos bons romances, que eu já pude viver (e eu espero sinceramente, que você já tenha experimentado do mesmo). Fazer uma boa canção, provavelmente é bem complexo, mas como quase tudo no mundo tem uma linha tênue (a meu ver, claro), ela consiste em etapas bem simples; Verso/refrão/2 verso/refrão/ponte/final. Esta é basicamente a fórmula, de todas as boas canções. E eu vejo o romance nessa mesma engine;

1º Verso: Você conhece a pessoa/canção, soando ainda estranhamente em você, mas você se identifica (não chega a eleger como a pessoa/canção de sua vida, mas com o decorrer do chronos, começa a se tornar íntimo para você), isso é nada mais, que aquela deliciosa troca de olhares. Ou tesão mesmo… Tanto faz o nome que você quer colocar.

Refrão: Mesmo sem conhecer essa pessoa/canção bem, ela age de forma tão intensa em você, tão mágica… Que se existisse uma forma de descrever essa parte, eu não o faria. Seria no mínimo com descrever uma íris (é sensacional olhar para uma íris, mas eu nunca vi ninguém descrever a magnitude da mesma).

2º Verso: Toda grande emissão de luz, obviamente, irá gerar um fade. Isso não é nada demais. É novamente conhecer e se adaptar, mas dessa vez, é um dos grandes gains que é possível absorver de um relacionamento; Conhecer você dentro de outra pessoa (é quase como assistir um filme com comentários do diretor… Chato, mas necessário ás vezes, para compreender partes cruciais).

2º Refrão: Quase a mesma coisa do primeiro refrão… O que era ótimo se torna bom… Mas o bom, fatalmente não é o bastante.

Ponte: Aquele simples preto e branco se transforma em uma complicada escala de cinza. É enxergar falhas em ambas as partes (mas fato é, que somos grandes hipócritas, e vemos só o que nos convém). Não me culpo por já ter feito isso, e nem culparia ninguém. Tem horas que é dente por dente, e olho por olho (fato).

Final: Uma grande parte se acaba com um estrondo no final… E outra grande parte, se esvaece como pequeno trago de cigarro. 50/50

Eu espero que um dia, eu possa viver um greatest hits. Viver grandes singles com uma única pessoa… Fazer com que as faixas/etapas toquem em minha vida, no mínimo em 85db. É prejudicial? Sim. Mas quem nunca ouviu “aquela” música no talo?

Jackson Takeda

Jackson é designer, body piercing e músico. A arte aí de cima é dele. Linda, não?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: